Renúncia do subsíndico: o que fazer?

Quando falamos de condomínio, todas as partes que integram a equipe de atuação em prol do condomínio são importantes. Renuncias de cargos são fatos que ocorrem rotineiramente e devem ser tratados como um assunto sério. Em caso de renúncia do subsíndico, o síndico do condomínio deve saber os procedimentos legais para realizar.

Como o cargo de subsíndico é de bastante importância dentro de um condomínio, é fundamental as atitudes serem tomadas rapidamente, para que o condomínio não fique prejudicado por muito tempo. Nessa publicação falaremos um pouco do que deve ser feito quando acontece a renúncia de um subsíndico, as atitudes que devem ser tomadas e os prazos que são recomendados em cada caso.

Lembramos que, quanto maior o tamanho do condomínio, maior poderá ser as obrigações do subsíndico perante ao condomínio, sendo ainda mais necessário atitudes efetivas no caso de renúncia. Correr contra o tempo nessas horas é uma excelente alternativa para evitar futuros aborrecimentos.

O que fazer após a renúncia do subsíndico?

Como síndico e gestor do condomínio, é necessário observar com certa clareza todos os fatos antes de qualquer tomada de decisão. Após a renúncia do subsíndico, é aconselhável que ocorra a leitura da convenção de condomínio para entao, seguir as recomendações.

Após a leitura, na grande maioria dos casos, é recomendado a convocação de uma assembleia com rapidez, para que as providencias sejam tomadas o mais rápido possível. Tendo grande necessidade, é aconselhável a convocação para uma eleição para subsíndico, no qual deve ter conhecimento de todos os condôminos.

Destacamos que, mesmo que o cargo de subsíndico seja um cargo suplente, é comum o subsíndico desempenhar diversas atividades dentro de um condomínio, sendo de fundamental importância para a gestão do mesmo. Por isso, a agilidade na realocação de uma nova pessoa no cargo é de extrema importância por parte do síndico.

Como o subsíndico deve comunicar sua renúncia?

Quando um subsíndico deseja se renunciar do cargo, ele deve fazer por escrito a sua renúncia, para formalizar o pedido. Quando o mesmo realizar a renúncia em assembleia, não é necessário formalizar por escrito, sendo anotado na própria ata da assembleia.

Lembramos que, deve-se tomar bastante cuidado ao renunciar de um cargo, visando sempre o bem-estar do condomínio. Há casos em que, renúncias sem avisos prévios prejudicam bastante o condomínio, acarretando acúmulo de atividades, entre outras coisas.

Nesse aspecto do comunicado da renúncia, deve-se tomar ainda mais atenção os condomínios nos quais os subsíndicos desemprenhem algum tipo de função, sendo necessário agilidade na contratação de outro funcionário.

Entenda o caso de modo geral

Como muitas vezes o síndico que deve tomar as atitudes após a renúncia do subsíndico, é importante para ele analisar bem a situação. Entender o que pode ter causado a renúncia é bastante importante e pode ajudar durante seu trabalho. Em diversos casos, a rotatividade da gestão do síndico não é interessante, podendo prejudicar o funcionamento da gestão e acarretar em problemas para o condomínio.

Quando os casos de renúncias forem através de desejos pessoais, é totalmente compreensivo o caso. Já para casos em que a renúncia aconteceu devido a acontecimentos no próprio condomínio, o síndico deve ligar o sinal de alerta e observar as melhorias que pode fazer para diminuir essas situações.

Concluindo, em casos de renúncia de subsíndicos, o estudo do caso e a melhor tomada de atitude deve ser bem pensada, para que não prejudique o próprio condomínio em questão. A melhor forma para isso é através da leitura da própria convenção de condomínio, que deixa tudo bastante claro em relação as atitudes que devem ser tomadas pelos gestores.

Posts Recentes

Saiba como funciona um condomínio logístico

Você está satisfeito com a qualidade do setor logístico […]

Renúncia do subsíndico: o que fazer?

Quando falamos de condomínio, todas as partes que integram a […]

Auditoria de condomínio: qual a hora certa para fazer?

Quando falamos de condomínios e os benefícios em morar em um, […]