Gestão do síndico e inteligência emocional

Inteligência emocional

Você está preparado emocionalmente para gerenciar as suas emoções e também a emoção das outras pessoas? Veja nesse post a importância da inteligência emocional para a gestão condominial, como aplicá-la no seu dia a dia e nas relações com parceiros e ainda mais, como desenvolver essa habilidade.

  • Inteligência Emocional do síndico
  • Inteligência emocional no seu dia a dia
  • Como desenvolver a Inteligência Emocional
  • Inteligência Emocional e Parceiros

Hoje viemos falar de um assunto pouco discutido, mas extremamente importante para a sua gestão: a inteligência emocional do síndico. Em definição, inteligência emocional é a capacidade de identificar e lidar com emoções e sentimentos, tanto o seu, quanto de outras pessoas.  

Ela ajuda a fazer com que uma pessoa aja de maneira prudente, intuitiva e racional, não baseada em suas emoções. Ela faz parte de um equilíbrio, te permitindo ser sensato, ter sabedoria nas tomadas de decisão e ter discernimento e tranquilidade para buscar a melhor solução e melhores estratégias. 

Mesmo que muitas vezes, o papel do síndico seja erroneamente entendido apenas como uma função administrativa, um condomínio é um lugar de convivência entre famílias com perfis, hábitos e objetivos diferentes e, essas diferenças acabam impactando diretamente nas relações entre as pessoas. Cabe ao síndico intermediar e controlar situações que mexem com as emoções de todos. 

E neste contexto, a inteligência emocional se faz extremamente necessária. Como o síndico representa uma comunidade, seu papel fundamental é olhar pela coletividade e ter a habilidade de lidar com as pessoas e seus sentimentos, para gerar resultados satisfatórios na convivência do condomínio. 

Inteligência emocional no seu dia a dia 

Para se ter Inteligência Emocional no dia a dia, o síndico precisa se colocar no lugar de escuta e partir do princípio de que todos tem razão a partir da sua própria perspectiva. E é no momento de conflito que o síndico deve conseguir trazer todos à racionalidade e agir de forma tranquila e equilibrada. 

Outro ponto importante é o síndico conseguir separar seu papel de síndico da sua opinião como morador. Como liderança nos momentos de conflito, o síndico deve se manter imparcial e dar voz para todos as partes, auxiliando para que uma questão seja resolvida de forma colaborativa e racional entre todos os condôminos. 

Em momentos de impasse, o síndico pode tentar trazer as pessoas para a racionalidade com perguntas que as façam pensar e sair da emoção: “Explique melhor o seu ponto de vista?”; “Como este problema afeta você? E as demais pessoas?”; “Qual impacto geral para o condomínio?”; “O que mais de ruim, pode acontecer?”.  

Outra ação pode ser deixar a pessoa inicialmente falar livremente e extravasar seus sentimentos. Há pessoas que enquanto não expuserem tudo que pensam, não conseguem conversar ou avaliar a situação sob outro olhar. 

Mas, o mais importante é o síndico se manter calmo durante todo o processo de conflito, usando sempre um tom não agressivo e cordial. A calma do síndico deve ser passada para os demais condôminos que, apenas com tranquilidade, conseguirão pensar racionalmente no problema. 

Inteligência emocional

Como desenvolver a Inteligência Emocional 

Falamos muito sobre a Inteligência Emocional e sua importância na gestão de um condomínio. Mas como desenvolver essa habilidade?  

O primeiro passo é reconhecer a sua importância e o impacto nas suas emoções e no seu papel de liderança. Nesse aspecto, autoconhecimento e desejo de evolução são essenciais para o desenvolvimento da inteligência emocional.  

Outro ponto crucial é entender se antes de assumir esse papel de líder de um condomínio se você tem equilíbrio emocional e desejo de agir de forma racional diante dos conflitos que certamente irão surgir. Você quer ser síndico para resolver um problema que te aflige emocionalmente ou deseja esse papel pensando no bem-estar coletivo?  

Já no papel de síndico, é fundamental ter atenção e buscar feedbacks e realizar melhorias comportamentais baseado no retorno dos condôminos. As capacidades de ouvir, em seguida mudar e agir são fundamentais para a gestão das emoções e, consequentemente, para o melhor relacionamento com os moradores e fornecedores. 

No processo de autoconhecimento e identificação dos pontos de melhoria no que diz respeito à inteligência emocional, se inicia a etapa de treinamento comportamental. Este treinamento pode acontecer por meio de estudos sobre o assunto ou com ajuda profissional. Mas, o mais importante é ter interesse e buscar o desenvolvimento individual e ter interesse genuíno na mudança. 

Inteligência Emocional e Parceiros 

Para auxiliar nessa evolução da Inteligência Emocional o síndico deve ter ao seu lado parceiros confiáveis e que tragam tranquilidade para a sua gestão. Uma administradora, conservadora, empresa de reforma ou qualquer outro fornecedor não pode ser mais um ponto de conflito para o síndico dentro de um condomínio. 

Por isso, cerque-se de bons profissionais e empresas que irão auxiliar você na parte administrativa da sua gestão, mas que sempre estarão próximos para ajudar em qualquer conflito que possa aparecer. Dando a você o equilíbrio necessário para resolver os problemas de forma racional. 

Como você já sabe, a AdmCasa é a administradora pioneira em Belo Horizonte. Com quase 60 anos de história, conhecemos profundamente todos os desafios da gestão de um condomínio e estamos prontos para ajudar você não só na parte administrativa e financeira, mas em diversos outros aspectos que influenciam na sua gestão, inclusive no desenvolvimento da inteligência emocional. 

Posts Recentes

Virei síndico, e agora? Dicas para quem é iniciante

Gerenciar um condomínio é algo que a maioria das […]

Inteligência emocional

Gestão do síndico e inteligência emocional

Você está preparado emocionalmente para gerenciar as suas emoções […]

Saiba como funciona um condomínio logístico

Você está satisfeito com a qualidade do setor logístico […]